Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




Sou "cidadão", e depois?

por naomedeemouvidos, em 31.01.19

 

Cidadania.PNG

aqui

 

 

“A todos são reconhecidos os direitos à identidade pessoal, ao desenvolvimento da personalidade, à capacidade civil, à cidadania, ao bom nome e reputação, à imagem, à palavra, à reserva da intimidade da vida privada e familiar e à protecção legal contra quaisquer formas de discriminação.”

 

    Na Constituição da República Portuguesa, a cidadania surge como um direito. Raramente encaramos a cidadania como um dever. Talvez por isso, não a vivamos de forma plena. A nossa cidadania. Não nos metemos em política, nem na vida dos outros. A maior parte das vezes, só queremos que não nos macem. Pagamos os nossos impostos, cumprimos um conjunto seguro de regras, das sociais e às da legalidade, e, alguns, exercemos o direito de voto, mesmo que já não sejamos capazes de reconhecer alguém a quem confiar a nossa esperança. Resignados, vamos dando de ombros, como se não tivéssemos qualquer outra palavra a dizer. Talvez, um resmungo, numa conversa de café. Inconsequente. Um desabafo que não se leva demasiado a sério, ou, pelo menos, não durante o tempo suficiente para fazer a diferença.

    É verdade, não teremos todos a mesma apetência, paciência, o engenho ou a arte, para participar na construção de um país melhor, para contribuir mais e exigir mais de quem tem o poder de decidir por nós. Mas, é possível que a maior ameaça à nossa democracia seja essa manifesta indiferença, o crescente divórcio entre o cidadão e o seu Estado, com responsabilidades de ambas as partes. O menosprezo com que encaramos o exercício da cidadania representa um perigo à espreita, oportunista, de que nem sempre estaremos conscientes. Seja por ignorância ou por comodismo. Será que não podemos, não deveremos, como cidadãos, fazer mais? Conhecer, de forma profunda, a dimensão e o alcance dos nossos direitos, é capaz de ser um bom ponto de partida. Na verdade, o que sabemos, exactamente, sobre a forma como podemos exercer, plenamente, o direito à nossa cidadania?

Autoria e outros dados (tags, etc)


9 comentários

Imagem de perfil

De Pedro Vorph a 31.01.2019 às 13:13

Excelente o link. 
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 31.01.2019 às 13:38

É engraçado. Esta “brincadeira “ em que nos meteu a Sarin já serviu, pelo menos, para eu me aperceber do desconhecimento completo que tenho sobre alguns aspectos da minha cidadania. Se não servir para mais, já cumpriu um nobre propósito.
Imagem de perfil

De deficientedonadecasa a 31.01.2019 às 15:21

Muitas vezes quem tenta lutar pelos seus direitos começa a ser visto como incomodativo... A inactividade é uma opção que não é dada a todos... 
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 01.02.2019 às 09:09

Eu entendo, sim. Mas, se todos incomodarmos um pouco mais, talvez venhamos a ser capazes de domar, no bom sentido do termo, os incomodados.
Imagem de perfil

De cheia a 31.01.2019 às 22:56

Seria muito bom sabermos os nossos direitos e deveres.
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 01.02.2019 às 09:11

Diz-se que deve começar em casa e na escola. Evidentemente, não estamos a fazer bem.
Imagem de perfil

De Sarin a 01.02.2019 às 00:58

A informação disponibilizada nos sítios da internet e em repartições públicas é já muito bom - mas são poucos os cidadãos a colocar as questões, a perguntar algo mais do que as suas necessidades directas e imediatas.


Mas os canais do Estado contribuem acentuadamente para esta falha - tanto a RTP como a ARTV descuram, ignorando ou deixando para más horas, a importante actividade de divulgação e esclarecimento junto dos cidadãos. Por televisão e por radiodifusão, poder-se-ia fazer algum trabalho de divulgação, assim houvesse vontade política de quem gere tais estações - e não falo dos órgãos de soberania :)


Assim, resta-nos a vontade.
Ou a necessidade.
Imagem de perfil

De naomedeemouvidos a 01.02.2019 às 09:12

Os mais cínicos podem pensar que manter o "povo" informado não interessa. Outros acham apenas que não vale a pena...não dá audiências.
Imagem de perfil

De Sarin a 01.02.2019 às 09:46

Acho que é isso todo, porque também é verdade que o povo não se interessa... :(

Comentar




Newton.gif

Não falamos da actualidade, do acontecimento. Nem opinamos sobre uma notícia.

Falamos de política num estado mais puro. Sem os seus actores principais, os políticos - o que torna o ar mais respirável. E os postais sempre actuais; por isso, com as discussões em aberto.

A discussão continua também nos postais anteriores, onde comentamos sem constrangimentos de tempo ou de ideias.





Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.